Menu
X
imagem

Quantidade x qualidade: Quantas sessões de “drenagem linfática manual” são necessárias no pós operatório?

Essa é uma pergunta muito comum entre as pacientes submetidas à cirurgia plástica, e o termo “Drenagem Linfática” está propositalmente entre aspas para chamar a sua atenção. Antes de responder esta pergunta, você precisa entender que o pós operatório NÃO SE RESUME em sessões de DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL.É muito comum os pacientes procurarem e até alguns médicos indicarem a técnica da Drenagem Linfática Manual (DLM) como O TRATAMENTO para pós operatório em cirurgias plásticas. De fato, a DLM é a técnica que favorecerá a redução do edema (inchaço) pós cirúrgico. Porém, a sua indicação isolada não proporcionará uma reabilitação adequada.Algumas questões devem ser consideradas no período pós operatório:Particularmente em abdominoplastias, nos primeiros dias o paciente apresenta falta de ar, cansaço, dificuldade parcial nos movimentos respiratórios e tosse, devido a plicatura dos músculos retoabdominais (redução da capacidade respiratória que pode chegar até 50% dos parâmetros pré operatório). A cinesioterapia respiratória entrará como grande aliada na reabilitação com exercícios que melhorarão rapidamente a mecânica respiratória. Esta deve ser iniciada na primeira semana de pós cirúrgico.Como muitos já sabem, toda cirurgia tem risco de causar Trombose Venosa Profunda. A cinesioterapia motora é de suma importância para evitar que esse problema ocorra, intervindo já na primeira semana de pós cirúrgico.Outra intercorrência muito comum em cirurgias plásticas é a fibrose, que nada mais é que excesso de tecido cicatricial, composto principalmente por colágeno. Técnicas de mobilização tecidual podem ser aplicadas desde os primeiros dias após a cirurgia, visando a redução do estímulo inflamatório e, consequentemente, freando a deposição exacerbada de colágeno, controlando assim o surgimento de fibroses e aderências, favorecendo todo o processo de cicatrização.

A DLM pode não ser a técnica mais indicada nos primeiros dias de cirurgia, uma vez que o sistema linfático foi lesionado no ato cirúrgico juntamente com os capilares sanguíneos e estará sendo reparado nestes primeiros dias, dando início a angiogênese (formação de novos capilares sanguíneos) e depois a linfangiogênese (formação de novos capilares linfáticos). Os vasos linfáticos estarão formados no local a partir do 11° dia após a cirurgia (segundo novas pesquisas científicas).Em suma, respondendo a pergunta do enunciado, não existe uma quantidade exata de sessões. Cada indivíduo é um caso diferente. A fisioterapia dermatofuncional trabalha com várias técnicas que visam a recuperação funcional do indivíduo, permitindo que o mesmo retorne para as suas AVDs o mais breve possível. Um pós operatório bem feito encurta o tempo de convalescença do paciente, não sendo necessárias inúmeras sessões e várias por semana. O fisioterapeuta precisa se preocupar com a qualidade do atendimento, e não com a quantidade.


Dra. Glória Lourenço – CREFITO 2/ 180728-F
Fisioterapeuta pós-graduada em Fisioterapia Dermatofuncional.
Membro Especialista da Associação Brasileira de Fisioterapia Dermatofuncional – ABRAFIDEF.
Título de Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional – ABRAFIDEF e COFFITO.
Colunista da Revista Eletrônica NovaFisio.

Nenhuma Tag Encontrada!
Voltar à página inicial

© Copyright 2020 Fisiouber.com. Não viva com dor!